Celebrando os pequenos momentos

“O dia dos namorados não é apenas um dia.”

Bom, pelo menos foi isso o que eu ouvi dizer!

E porque celebrar é tão importante? Celebrar… não importa o que seja… Porque a vida é sim feita de pequenos momentos e o que não percebemos é que quando estamos apaixonados celebramos tudo: aniversário de um mês de namoro, aniversário do primeiro cinema, aniversário do primeiro beijo… e por aí vai.

Talvez o seu relacionamento não seja ou não tenha sido assim. Mas garanto que celebrar as pequenas conquistas do dia a dia faz com que a relação seja mais prazeirosa.

E porque então existe o dia dos namorados? Certamente é uma data chata para os solteiros, mas uma data festiva para o comercio e o varejo. Mas além dessas óticas podemos enxergar o dia dos namorados como aquele dia em que estamos juntos. “Só por estar juntos?”

E não deveria ser motivo suficiente? Ficamos criando expectativas, pensando no encontro ideal, no presente ideal, no prato de comida ideal, mas o ideal mesmo é celebrar o que faz do amor único: a companhia um do outro e todos os momento e histórias que tem pra contar ao longo dessa caminhada chamada relacionamento.

Então celebre, todos os dias, por ter essa pessoa maravilhosa ao seu lado. Porque se tem uma coisa que é verdade é que todos os dias fazemos escolhas: escolhemos a roupa que vestir, se vamos ou não tomar banho, se vamos comer uma fruta ou comer pão, enfim. A pessoa que está do seu lado escolhe estar com você todos os dias!!!

Se você namora, se é noiva, se mora junto, se é casadinha, como eu… Entenda que o amor é feito dos pequenos momentos. E quanto mais artesanal e mais a “cara de vocês” essa relação tiver, não é necessário muito para se convencer de que o maior presente é ESTAR PRESENTE.

Estava com saudades de escrever,

Até a próxima quinta!

Gi Beluca

O espaço!

A pedidos da nossa amiga e leitora @ThaianaDias venho aqui para falar sobre o espaço no relacionamento!

É certo que quando se escolhe casar imagina-se que ficamos o tempo todo grudados, mas isso não é bem verdade!

Na realidade, se contar as horas em que ficamos em casa JUNTOS, somam-se mais ou menos umas 4. E como fazer para distribuir o SEU e o DEL@ nessas horas?

Sem parecer rotulada, ou coisa do gênero, vamos iniciar pelo essencial: a rotina da casa. Se organize! A ideia é encontrar um equilíbrio e não deixar para fazer tudo de uma vez só… Sei que soou meio clichê, ou piegas, mas aquilo que a sua mãe fazia de organizar que dia iria lavar as roupas, ou encaixar a rotina pessoal com a da casa é a melhor saída.

Bom, e como fazer para: cuidar da casa, cuidar de si mesmo, cuidar da relação, ter um pet, praticar hobbies, estudar…? Posso listar uma infinidade de coisas que fazem parte da nossa rotina, que também deve fazer parte da sua! Entenda que vou voltar sempre nos mesmos pontos…INTERESSES EM COMUM.

Por exemplo, a academia! Se você gosta e ele não, não vá nos mesmos horários que vocês tem livre para ficarem juntos! No nosso caso, fazemos academia juntos, então facilita os cuidados pesssoais.

Outro exemplo, gosto de ler e el@ de ver serie… Escolha o momento em que el@ esteja vendo a série para que você tenha um tempo para ler e vice e versa!

Com certeza se houver sintonia e compreensão entre vocês a rotina e o dia a dia irá fluir naturalmente! O importante é haver respeito um com o outro e saber entender que de vez em quando um lado irá ceder.

Em alguns casos vejo menin@s que gostam de continuar saindo com seus amigos antes de se ajuntar, noivar ou casar. E não há problema algum que isso aconteça! O importante é lembrar: como foi durante o namoro? El@ foi ciument@? Você já tinha o hábito de sair sem @ seu ou sua parceir@? Se a resposta foi sim, ficará bem mais fácil negociar, mas se você nunca fez isso, minha sugestão é conversar sobre o porquê está sentindo falta de ter os seus momentos a sós!

Espero que tenha feito sentido para você! Lembre-se que se a pessoa que está do seu lado te ama, el@ vai querer te ver feliz e se el@ não concordar com o que quer, pelo menos faça el@ entender o porque você quer! Converse!!! O diálogo é essencial para atingirem os objetivos junt@s!!!

Gostou? Deixe seu comentário ou me mande inbox!

Beijo e até a próxima quinta!
@gibeluca

Sem rótulos!

Este é o segundo post do blog. A história do meu sim, que pode ou não ser parecida com a do seu futuro ou atual SIM. Porque estou falando isso? Porque eu não acredito no certo ou errado para relacionamentos, a cada dia que passa eu percebo que não há uma receita de bolo – tempo de namoro, tempo de noivado, quantidade de relacionamentos prévios, etc. O importante é ACREDITAR em você mesmo e na sua relação, assim tudo será mais fácil!

FICHA DO CASAL DA GI E O MARIDÓN

Tempo de namoro: 8 meses

Tempo de noivado: 8 meses

Tempo de casados: 2 anos e 2 meses

Já deu pra entender o porque eu disse que não há receita? Não? Então, nós nos conhecemos na faculdade – e não é aquela típica história do menino que estudava na minha sala, até porque meu marido é 13 anos mais velho do que eu. QUE? SIM, quem o conhece vai dizer que toma alguma poção polissuco ou de rejuvenescimento rsrs! E se você conheceu @ seu parceir@ na balada, festa da prima, empresa em que trabalha, viajando com a família ou num simpósio de música, NÃO TEM PROBLEMA!!

Acredite, nossa história de amor foi intensa, demais até. A data do casamento foi agendada com 3 meses de namoro. E quem está lendo isso vai achar que eu sou doida – e talvez até tenha razão – mas sabe aquele “TCHAN”? Quando eu o conheci, senti que era minha alma gêmea, uma conexão inexplicável. Na noite do primeiro encontro nós falamos 50% sobre trabalho, 30% sobre hobbies e interesses pessoais, 10% sobre como aquele lugar era incrível (foi no Tigers, em Curitiba) e os outros 10% foi encolhendo o próximo drink do cardápio! Rsrs! E chegamos num ponto chave: INTERESSES EM COMUM.

Considero que se você ainda acredita na tal receita, este ingrediente é INDISPENSÁVEL! Há muitos textos sobre “opostos que se atraem”, mas se tem uma coisa que eu aprendi com uma amiga mais velha – quando digo mais velha, quero dizer que ela tem 50 anos de casada – é que depois que o fogo passa, você tem que ter interesses em comum com a pessoa que divide uma vida contigo!!!

E porque eu senti que ele era a minha “pessoa certa”? Porque os VALORES que eu buscava em alguém, encontrei no maridón! Para você talvez um primeiro encontro falando sobre trabalho seja BORING (chato), mas no meu caso vi nele um homem BATALHADOR – e queria isso para meus futuros babys (filhos), FAMÍLIA – pois quando falou da vida pessoal comentou sobre os pais e tinha aquela admiração nos olhos quando falava deles, DESCOLADO – pois sua roupa era bem estilosa, e além de tudo, me passou muita SEGURANÇA – pois quem quis dar o primeiro beijo na noite do primeiro encontro fui eu (me julguem)!

Olhe para a sua relação hoje, primeiramente: quais são os SEUS VALORES? Segundo, VOCÊ ACREDITA que ela vai ser duradoura, o TAL DO PRA SEMPRE que todo mundo fala? Terceiro, se vocês tiverem que ficar 1 semana, 1 mês sem ter relação, o relacionamento tem o necessário para se sustentar pelos INTERESSES em COMUM?

Fez sentido pra você? Conta pra mim!!

Beijo e até a próxima quinta!
@gibeluca