Empreendendo em dupla

“Oi Gi, você está sumida, parou de escrever no blog!”

Sim, estou sumida. Mas é por uma causa MAIOR! Algumas de vocês vem acompanhando minha nova rotina (TRIPLA) com a abertura da empresa OUTER + Vendas Suzuki + Gi criativa (rsrs) = (Uma mulher um pouco doidinha, diga-se de passagem, mas FELIZ!)

Vim contar um pouco para vocês sobre o desafio da vidinha casada com o (maridón) – sócio.

O que estamos aprendendo:
– Separar papéis (é possível?!) – Acho que não. Tem dia que a gente acorda pensando em sapatos, almoça namorando e janta desabafos… Mas acredito que faz parte do amadurecimento e cada vez mais buscando o (tal_do) equilíbrio.
– Adequar as rotinas administrativas com a rotina da casa e da relação – isso melhora?! Tem segundas que viramos a noite fazendo contas, e domingos que passamos o dia limpando a casa! E acreditamos que a partir de agora só teremos mais coisas (novas) para incluir na rotina e num prazo médio poder olhar para o que construímos com a certeza de que valeu a pena.
– Tomar decisões juntos: acho que é a parte mais difícil, mas também está valendo cada pedacinho desses momentos compartilhados.
– Reconhecer nossas fraquezas e fortalezas – humanizando mais o relacionamento, porque de certa forma vivemos um conto de fadas nos primeiros anos casados e agora a responsabilidade, necessidade de apoio, e segurança um no outro é ainda maior.

Por fim, entender que quando erramos não existe um culpado, e principalmente a (man)ter o respeito.

Ultimamente tenho comparado muito a nossa relação com a empresa como se tivéssemos ganhado um bebê. Mamães de plantão – me julguem, mas é a nossa primeira experiência de algo que depende 100% de nossas decisões em conjunto para dar certo.

E sim, a empresa “chora”, sente “fome”, faz “manha” e estamos aprendendo a “trocar as fraldas” e entender os sinais que ela nos dá para sabermos solucionar os soluços.

Para quem deseja empreender com o marido, eu recomendo. Principalmente quando é um passo que os dois estão dando juntos pela primeira vez. Tenho sentido que esse friozinho na barriga de: “segura na minha mão que tudo vai dar certo” é bom demais, mesmo que dê errado. Em 4 meses da nossa loja no Mueller tivemos VÁRIAS turbulências, acreditem. Mas existe uma verdade: o relacionamento só fortalece.

Talvez ainda seja cedo para dar o meu “veredito” final, mas até agora a parte boa pesou mais do que a ruim, afinal estamos preparando nosso futuro da melhor forma que poderia ser: JUNTOS.

Quando era adolescente, li um livro do Pedro Bandeira em que ele explicava que a forma como os personagens queriam se relacionar seguia a brincadeira semântica SERESPAPERCONFI.

Cada vez mais, sinto que o caminho é este: ser, estar, parecer, permanecer, confiar e ficar. Estes são os verbos de ligação da nossa gramática e também os verbos que fazem o relacionamento ser forte. Ser você mesmo com quem ama, estar com quem ama, parecer com quem ama, permanecer com quem ama, confiar em quem ama e ficar com quem ama.

Empreender sozinho não é fácil, em dupla também não e para ser bem sincera eu acho que independente do mercado ser ou estar estável é um desafio muito grande. Mas tenha certeza de que o aprendizado quando compartilhado é muito melhor e faz com que a relação evolua. Antes de tomarmos essa decisão conversamos com vários casais que tem empresa juntos e nos disseram que são felizes, pois tem o mesmo objetivo… e no final das contas é exatamente isso o que importa!

Se você ainda não conhece a nossa loja, é a OUTER SHOES e fica no Shopping Mueller, no coração de Curitiba. Venha nos visitar! Nossos calçados e produtos são feitos de couro, alguns solados tem elementos de borracha reciclada, e são feitos artesanalmente – A OUTER ESTIMA 100 MÃOS NO PROCESSO COMPLETO DA CADEIA ATÉ CHEGAR NA SUA CASA!! As principais características dos produtos são: conforto, estilo e autenticidade. São flexíveis e duráveis. Escolhemos essa marca porque reflete o que somos e almejamos ser como casal.

Afinal, ser flexível e ter uma durabilidade longa é o que todos nós queremos ao lado de quem amamos, né?!

Espero que gostem do post, e se tiverem dúvidas sobre essa jornada empreendedora já sabem que podem falar comigo no insta @gibeluca

Até o próximo post! – E prometo que desta vez voltei pra ficar.

Gi Beluca

O amor

O amor é e deve ser alimentado todos os dias. É construído pelo respeito, a amizade, a companhia. Cada sorriso alimenta o nosso eu, somos movidos pelos pequenos gestos, palavras, demonstrações de afeto.

Um casamento é a solidificação desse conceito. É certo que vão haver dias difíceis e outros apaixonados. Comparo muito aos movimentos do universo, das ondas, das estações no ano e a ritmia cardíaca.

Algumas pessoas não entendem que somos algoritmos, combinações numéricas que sofrem mutações diárias. Quando você tem maior consciência desse movimento tudo fica mais fácil de compreender.

Deus desejou que nossas vidas fossem sequências combinatórias de praticamente todos os elementos, sejam eles tangíveis ou intangíveis como a matéria que nos faz ser o que somos.

A matéria e o sentimento nos fazem únicos. Seres inexplicáveis, capazes de nos expressarmos de diferentes formas.

Com o amor somos capazes de atingir nossos objetivos pessoais, profissionais e conjugais. Há muito ainda a se descobrir sobre a capacidade dos seres humanos. Pois afinal, somos água e matéria, mas mais do que tudo isso, somos AMOR.

Hoje trouxe uma reflexão mais profunda sobre o amor.

Espero que gostem!

Gi Beluca.

Celebrando os pequenos momentos

“O dia dos namorados não é apenas um dia.”

Bom, pelo menos foi isso o que eu ouvi dizer!

E porque celebrar é tão importante? Celebrar… não importa o que seja… Porque a vida é sim feita de pequenos momentos e o que não percebemos é que quando estamos apaixonados celebramos tudo: aniversário de um mês de namoro, aniversário do primeiro cinema, aniversário do primeiro beijo… e por aí vai.

Talvez o seu relacionamento não seja ou não tenha sido assim. Mas garanto que celebrar as pequenas conquistas do dia a dia faz com que a relação seja mais prazeirosa.

E porque então existe o dia dos namorados? Certamente é uma data chata para os solteiros, mas uma data festiva para o comercio e o varejo. Mas além dessas óticas podemos enxergar o dia dos namorados como aquele dia em que estamos juntos. “Só por estar juntos?”

E não deveria ser motivo suficiente? Ficamos criando expectativas, pensando no encontro ideal, no presente ideal, no prato de comida ideal, mas o ideal mesmo é celebrar o que faz do amor único: a companhia um do outro e todos os momento e histórias que tem pra contar ao longo dessa caminhada chamada relacionamento.

Então celebre, todos os dias, por ter essa pessoa maravilhosa ao seu lado. Porque se tem uma coisa que é verdade é que todos os dias fazemos escolhas: escolhemos a roupa que vestir, se vamos ou não tomar banho, se vamos comer uma fruta ou comer pão, enfim. A pessoa que está do seu lado escolhe estar com você todos os dias!!!

Se você namora, se é noiva, se mora junto, se é casadinha, como eu… Entenda que o amor é feito dos pequenos momentos. E quanto mais artesanal e mais a “cara de vocês” essa relação tiver, não é necessário muito para se convencer de que o maior presente é ESTAR PRESENTE.

Estava com saudades de escrever,

Até a próxima quinta!

Gi Beluca

A importância da mãe no casamento

Mães são anjos em nossas vidas e isso todo mundo sabe!

Mas porque a mãe é tão importante no casamento?

Separei 3 bons motivos: o primeiro é porque elas são a nossa primeira referência do que é ser casada, a segunda é porque (na maioria das vezes) quem casa cedo como eu, ainda tem muitas amigas solteiras, e isso não é ruim, mas tem muitos assuntos os quais não conseguimos conversar… e o terceiro é que o colo de uma mãe, sempre vai ser aquele aconchego gostoso da pessoa que te deu a vida!

Esse post foi idealizado devido a semana do dia das mães, aproveitando para homenagear a importância delas em nossas vidas, ainda que sejam vidinha de casadas!

A mãe do marido também é importante na vida dele, pois também é q primeira referência de esposa que eles têm. Existe uma projeção que o homem ou a mulher podem fazer quando encontram a pessoa certa, e algumas vezes os homens casam com mulheres exatamente iguais às suas ou o extremo oposto, por motivos do subconsciente.

Entender a presença de um genro ou uma nora nas vidas das mamães nem sempre é uma missão fácil, como já conversei com varias amigas minhas que comentaram isso achei importante fazer essa ressalva.

Acredito que o ponto chave é quando as mães entendem que as noras não vão tentar ocupar o lugar delas, afinal sempre serão mães e muito menos os genros vão cortar a ligação que as filhas tem com suas mães.

Uma dica boa é continuar tendo programas individuais com as mães, seja para ir ao mercado ou colocar a fofoca em dia! Isso fortalece aquele laço que parecia ter sido “cortado” após o casamento. E nesse dia aproveitar para trocar experiências e debater algumas dificuldades que possam ter passado no início da relação delas!

Por fim, lembre-se que sua mãe sempre teve você por perto e é difícil para elas ficarem sem te ver em casa ou sem aquela amiga para conversar, parceira de arrumar a casa… coloque-se no lugar dela, a sua anjo da guarda!!!

Até a próxima quinta!!!

Gi Beluca

O planejamento do casamento!


Só de pensar já me dá muita saudades. Planejar o casamento, pensar em cada detalhe e cada objetivo que queríamos alcançar com nossos fornecedores foi muito especial.

Se você está noiva, e está começando a planejar o casamento, virá que não é uma tarefa tão simples assim! Muitas noivas preferem contratar aquele serviço de cerimonial que participa desse momento do planejamento, além do grande dia. Particularmente, acho que é uma conveniência, mas por outro lado, como eu escolhi pesquisar tudo sozinha, acho que é possível sim dar conta do recado e fazer uma festa bem feita!

Como já havia dito por aqui, nós namoramos 8 meses antes de noivar, então o tempo foi um fator desafiador para o nosso grande dia…

Lembro como se fosse hoje, que a primeira coisa que fizemos foi marcar a data do casamento com o Buffet, o Espaço Klaine. Somos de Curitiba, e estávamos em busca de um local para o casamento que possibilitasse que a festa pudesse durar até 4 horas da manhã, e são poucos que permitem isso devido ao barulho na vizinhança depois do horário permitido. 

O segundo passo foi fechar com a decoradora, a Tati Amaro do Atelier 16, para que pudéssemos conversar sobre o nosso sonho, que era um casamento que fosse um mix do clássico com o moderno. Nossa decoração tinha móveis em preto e as flores principais escolhidas para os arranjos foram hortênsias, porque eu tinha lembranças muito boas do jardim da casa da minha avó, durante a minha infância, eram as flores que ela tinha em grandes quantidades e esse sentimento de nostalgia foi muito presente no nosso grande dia.

Em seguida, visitei o Atelier da Angela Gramazzio, para que o designer desenhasse o meu vestido de noiva. Eu optei pela primeira locação, pois não vi sentido em guardar o vestido de noiva em casa, e também não gostei na ideia de locação para esta data tão especial. 

“Vestidos de noiva são muito caros” – Era o que eu ouvia falar. Mas acho que quando pesquisamos, podemos encaixar algo que caiba no orçamento, principalmente quando estamos falando de um sonho – porque as outras coisas até deixamos de lado, mas o vestido faz parte de se sentir princesa!

Não me recordo a exata sequência das outras coisas, mas os próximos passos importantes foram: empresa de foto e vídeo (a nossa foi a DWD Eventos), cerimonial para orquestrar e organizar os fornecedores e convidados no dia do casamento; doces e bolo (a nossa foi a doceira maravilhosa Marcia Ferro); os convites do casamento (a designer Dani Nudelmann foi a responsável pelo lindo convite com hortênsias na logo); compra dos acessórios e sapato de noiva (meu acessório de cabelo foi na @ e o sapato optei por um piptoe clássico, na cor azul bebe, da Raphaella Booz); o bar para os drinks foi fechado na feira do Inesquecível Casamento, com o pessoal da The Bell; 

Onde se arrumar no dia do casamento? Em casa ou no salão de sua preferência, eu optei por fazer em casa pelo conforto de poder ficar tranquila no meu quarto, curtindo minhas últimas horas na casa dos meus pais! Quem fez a minha make foi a @danielli_depaula e o cabelo foi a @maquiadoraandreasandoval e elas arrasaram no profissionalismo e perfeccionismo da minha aparência no grande dia!

A música, por fim e não menos importante, foi conduzida pelo Dj Murillo Fernando, que fez a pista ficar até o final do casamento, dançando e curtindo as musicas escolhidas por mim e pelo meu marido. Na igreja optei por um trio de cordas com o Antonio Eventos Musicais e quem cantou a minha música de entrada foi a cantora Renata Gorosito.

A música no casamento é um fator muito importante e hoje estou oferencendo um diferencial no mercado, que é a composição de uma música exclusiva para os casais. A composição é escrita por mim, com base na historia dos noivos e a melodia também é personalizada conforme o gosto musical do casal.

Se você tem alguma dúvida sobre os seus fornecedores, tire referencias, pesquise no Reclame Aqui, leia blogs na internet, participe de feiras de noivas, pense com calma e não se desespere! No final, sempre vai ter um detalhe ou outro que não vão sair exatamente como você planejou, mas tudo bem… curtam o dia de vocês!

Já vi vários casos de noivas que ficam tão nervosas, que não conseguem aproveitar o próprio dia do casamento… E isso não é legal… confie em quem contratou e relaxe, dance, cante, grite, pois ser casado é tudo de bom! 

Ficou alguma dúvida? 

Conta pra mim!!!

Até quinta que vem,

Gi Beluca 

As viagens a dois!

Viajar a dois: a conexão aumenta, o amor renova e o desejo de viver aquele momento pra que seja eterno é gigante. Amar é viver os pequenos detalhes e a viagem nos permite enxergá-los com maior clareza!

Gi Beluca

Ah… as viagens a dois! Destinos distantes, destinos nacionais, destinos pertinho, destinos internacionais…

Viajar nos permite quebrar a rotina, enfrentar dificuldades, aprender coisas novas – línguas, culturas, costumes – e acima de TUDO: Conecta o casal!

Há algum tempo venho escrevendo sobre formas de conectar-se com @ parceir@ e preocupar-se com estar conectado é o que faz a relação ser saudável!

A viagem é importante e realmente não importa para onde é, pois devemos sempre lembrar da jornada que nos levou até lá.

Na minha opinião, a viagem começa no planejamento, no sonho e em cada desejo que aquele destino compete. Tem casais que gostam de destinos mais badalados, outros a calmaria. Outra coisa importante que já falei por aqui: respeite as individualidades e tente encontrar um ponto de equilíbrio para que a viagem não seja algo frustrante!

Em novembro de 2018, tivemos a oportunidade de viajar para Aruba, no casamento da @maribrandalise e foi um dos lugares mais incríveis que conhecemos, pois pudemos estar em contato com a natureza e isto sempre fez com que a gente se conectasse ainda mais.

Se for para falar de destinos que envolvem natureza: em Morretes tem algumas cachoeiras legais de se visitar, também tem a Cachoeira do Panelão, gostamos também de ir no Santuário Schoenstatt, Parque Barigui, Parque Passauna… para quem quer ir um pouquinho mais longe, no Rio de Janeiro tem o Parque Lage, Jardim Botânico, Morro do Vidigal – a trilha é incrível e a vista também! – e subindo um pouco mais no mapa, a Ilha de Fernando de Noronha vale cada momento!

O que realmente importa é aproveitar cada segundo da viagem, deixar de lado os problemas e se entregar à aquele sentimento de prazer ao dividir essa viagem ❤️

Se você está passando por uma fase difícil no relacionamento, mudar os ares e trocar um pouco de energia SEMPRE abre portas para resolver conflitos!

Já deu até vontade de planejar a próxima viagem!

E você, para onde gosta de ir com o seu amor?

Conta pra mim!

Gi Beluca

A música que nos conecta

Realmente não sei se penso que a música conecta um casal porque isso sempre esteve presente nos meus relacionamentos ou se é pelo fato de eu ser música e viver isso com intensidade faz-me conectar mais facilmente com os outros.

Este post é para você, que assim como eu, tem uma historia de amor que envolve música!

Comigo e o maridón foi assim desde o começo. Ele curtiu uma publicação minha de uma viagem que eu faria para ir numa festa, e após o meu retorno, senti muita vontade de saber se ele também gostava do mesmo estilo de música que eu. E para a minha surpresa, nossa conversa no Messenger tinha muitos links de músicas que recomendamos um ao outro…Até que eu o convidei para ouvir uma música comigo! Rsrs

O nosso amor sempre teve muitos momentos em que ouvimos música juntos, seja no carro, em casa, em festas, em baladas ou até mesmo no parque à tarde com os fones sempre sintonizados.

Acho que é muito saudável: o casal gostar de pelo menos um estilo de música em comum, não importa qual seja. A música nos faz mudar o clima do ambiente, relaxar, conversar sobre os assuntos mais inusitados, emocionar lembrando de momentos, cantar juntos, dançar e também nos faz expressar o nosso amor através de uma melodia – já vou explicar mais sobre isso!

Lembro como se fosse ontem, eu e ele estávamos em uma festa de música eletrônica, dançando juntinhos, e uma pessoa aleatória olhou para a gente e falou: “gente, que energia boa que vocês tem! Eu nunca vi ninguém dançar eletrônico juntinho!” Rsrs!

Enfim, o amor pode ser expressado através de palavras e melodia. Isso se chama composição! E meu novo negócio é compor para casais que vão casar. Claro, que se você namora e quer ter uma música personalizada, também é uma ótima opção de presente… Para noivas que não sabem que música vão dançar, ou colocar na entrada da igreja, ou personalizar o vídeo do casamento, este serviço foi feito e pensado só pra você (e o seu noivo, claro!)

Se ouvir uma música de um artista já faz você lembrar da sua história de amor, imagine ter uma música PERSONALIZADA só SUA e do SEU AMOR?!

Gostou da ideia?

Solicite um orçamento no meu insta @gibeluca ou no meu email: giovannabeluca@gmail.com

E você? Qual sua história de amor e que música conecta você e seu namorado, noivo ou marido?

Conta pra mim!
Até quinta feira que vem.

Gi Beluca

As brigas!

Brigar dói. Brigar machuca. Brigar é feio.

Aprendemos isso quando somos pequenos, nossas mães sempre nos ensinaram a fazer as pazes e não brigar com quem amamos.

É um assunto tão delicado… Cada um tem um entendimento sobre brigar. Tem casais que vivem brigando, mas que sabem lidar com isso muito bem. Tem casais que nunca brigam, por medo de não conseguir suportar tal sentimento de discutir.

A briga provoca desequilíbrio. Na mente, no corpo, na casa. Porque brigamos, então?

Quando namorados é tão mais fácil… terminamos aquela discussão e muitas vezes vamos para casa, refletir, pensar, se arrepender ou não, dar tempo ao tempo.

E acho que essa é a principal diferença de quando somos casados, ou moramos na mesma casa. Simplesmente não tem como, porque e nem para onde fugir. Você acaba aprendendo que se escolher brigar vai ter que lidar com aquele sentimento. Um dos dois vai ter que ser mais forte, vai ter que acolher, ceder e posteriormente pedir desculpas.

Mas sabe quando um casal sabe brigar verdadeiramente? Na minha opinião é quando fica tão difícil brigar, que os dois param e se olham e dizem: eu te amo tanto, porque estamos brigando?! Vem cá, me abraça, me perdoa pelas coisas as quais eu disse!

“Brigamos, então, porque temos que aprender a perdoar? Ou perdoamos porque sabemos que o desequilíbrio desconstrói a relação?” Acredito que essas duas coisas estão intimamente ligadas.

Tente lembrar-se das últimas vezes em que brigaram como foi o desfecho. Cada casal tem a sua forma de se perdoar. Mas no fundo, no fundo, o que mais queremos é aquele momento final da briga em que um olha pro outro e após digerir o que acaba de acontecer, perdoa. Verdadeiramente.

Ah, o amor… ele é tão gostoso de sentir! Se você que está lendo briga muito, ou acabou de brigar com a pessoa que ama, pense nisso!

Que vocês tenham uma semana de paz na relação de vocês!

Vibrações positivas!

Gi Beluca.

O tempo!

É sabido que o tempo no relacionamento pode afetar a forma como nos relacionamos. Mas é muito fácil tentar achar um agente para culpar e a pergunta que fica é: o que você está fazendo pra otimizar o tempo que tem junto com @ parceir@?

Quando estamos namorando, é aquela euforia, a vontade de estar juntos, sempre temos tempo para: mandar mensagem, marcar a pessoa na publicação fofinha, telefonar por longas horas, ir ao cinema, viajar, conhecer bares e restaurantes, conhecer baladas e festas, andar de carro sem destino certo, dar risada de coisas bobas, ficar sonhando com o futuro, enfim…

Então porque tudo isso diminui ou para de acontecer quando casamos?

Você é o responsável pela decisão.

A minha amiga @jubettega me perguntou: porque você decidiu dedicar o seu tempo para gerar conteúdos no blog sobre a vidinha casada? A resposta é simples:

  1. Atualmente poucas pessoas acreditam que um relacionamento possa durar para sempre. A cultura do descartável é cada vez mais comum em todo universo de coisas que fazem parte do nosso dia a dia.
  2. Encontrei muitos conteúdos sobre: como preparar o melhor casamento, como fazer a melhor festa, como fazer o melhor ensaio de fotos pré wedding e enfim: como é a jornada ANTES do grande dia. Surpreendentemente, não encontrei nada a respeito do “depois do felizes para sempre”. E porque?
  3. Se eu puder, de alguma forma, contribuir para as noivas, recém casadas ou pessoas que pretendem ter um futuro junt@s compartilhando um pouquinho das dificuldades que tive e tenho na vidinha casada, as pessoas podem ver que é possível e maravilhoso dividir uma vida a dois!

O relacionamento é construído de o que eu e o Axeu chamamos de “pequenos momentos”. Saber tirar o melhor proveito das horas que passamos juntos é a essência!

E o que fazemos para cultivar esses pequenos momentos? Bom, sabe quando falam para você que amar é “conquistar a mesma pessoa todos os dias?” Talvez, pelo lado romântico você ache que é mandar declarações de amor, ganhar flores, comemorar aniversários de namoro, noivado e casamento, falar eu te amo o tempo todo, mandar mil mensagens no whatsapp, enfim. TAMBÉM É ISSO. Mas, conquistar alguém é querer estar juntos.

E quando estamos juntos, criamos pequenos momentos para:

  • Sair do trabalho e fazer um happy hour – isso faz com que desabafem sobre os fatos que ocorreram no seu job, sem levar assuntos pesados para dentro de casa;
  • Ir no mercado juntos – isso faz com que seja mais rápido uma tarefa aparentemente chata e possam planejar o que vão cozinhar, por exemplo;
  • Inventar um prato para cozinhar juntos – isso faz com que abram aquele vinho, cerveja ou outra bebida e criem uma oportunidade de se divertir;
  • Limpar a casa – experimentem colocar um som alto para limpar a casa e verão que o tempo passa mais rápido e é espontâneo começarem a dançar juntos ou darem risada das letras!;
  • Ter uma rotina saudável de exercícios – seja ela na academia ou aquela caminhada, andar de bike no final de semana – a experiência de cuidar um do outro é incrível e gera até uma competição saudável!
  • Assistir filmes, séries JUNTOS. Isso significa encontrar algo que os dois gostem de assistir e acompanhar os episódios – isso gera assuntos bobos sobre os personagens, assuntos sérios sobre o que pensam de temas polêmicos, assuntos sobre qual a próxima maratona que querem fazer, enfim!
  • Almoçar juntos durante a semana – Isso ajuda a quebrar a rotina do trabalho, criar uma oportunidade de se conectarem durante o dia.
  • Ter um hobbie juntos! Sim, para alguns casais – como nós – andar de jeep no final de semana! Outras idéias são: tirar fotos bonitas para postar no Insta, fazer uma aula de pintura, aula de violão, aula de culinária, jogar videogame, andar de kart, surfar…

Essas são algumas opções que não envolvem gastar muito dinheiro e que fazem toda diferença para sair da rotina, dentro da rotina!

E você, o que faz para aproveitar o seu tempo com @ parceir@?

Até quinta que vem!

Gi Beluca

O ciúmes!

Falar sobre ciúmes é um tema complicado. Essa frase pode parecer vaga, mas você não tem como negar que É COMPLEXO!

Olhando para algumas experiências de relacionamento que já tive, consigo citar alguns motivos pelos quais o cara era ciumento: não gostava da roupa, não gostava do jeito que eu falava, não gostava da minha maneira de expressar afeto, não gostava dos lugares que eu frequentava, não gostava dos meus amigos, não gostava… NÃO GOSTAVA DE MIM.

Que? Isso mesmo! Acho que o ciúmes tem a ver com o nível de maturidade do seu relacionamento e o quanto a pessoa confia em você. Se você tiver que mudar quem você é para agradar alguém, pode PARAR!

A leitora que pediu para eu escrever sobre esse assunto é minha amiga @thaiana.sd – ela tem um brechó online super fofo e confiável o @essencianativabrecho – Outra amiga que comentou que gostaria muito de ler sobre esse tema é a @julianadiniz, minha amigona de São Paulo! E foi legal elas terem mencionado esse tema, porque muitas mulheres passam por situações, às vezes até desconcertantes, nos relacionamentos e isso as faz repensar sobre a pessoa que está ao seu lado!

E deve mesmo repensar, pelo menos é assim que eu enxergo o ciúmes na relação.

Agora vamos falar de casais que não demonstram ciúmes? Que? Isso existe? Sim, existe. E na minha opinião támbem não é saudável, pois a pessoa tolerar tudo támbem demonstra que ela não se importa com a sua maneira de agir, acaba não demonstrando o que está sentindo por medo daquela DR, ou medo de se posicionar sobre algum assunto!

O que realmente torna uma relação difícil é quando tem aquele tipo de provocação: “você viu como fulan@ olhou para você?”. Gente, isso não é legal, mais do que isso, é super prejudicial para a relação! Você está fazendo a pessoa enxergar a outra de uma forma que ela nem tinha percebido, está facilitando qualquer problema na relação de vocês por causa de um comentário bobo!

Relação a dois é PRIVADA. Sua amiga não precisa saber o que acontece entre quanto paredes! Isso pode também despertar interesse sexual do seu amigo ou amiga pelo seu parceir@! E acaba sendo involuntário, porque se você fala que é muito bom a pessoa vai ficar com aquela pulguinha atrás da orelha!

Preserve o que você tem com a pessoa a qual você ama. Valorize todos os gestos de amor e de carinho, mas não precisa sair espalhando para todo mundo e contando em todas as suas redes sociais! Se você acredita em energia vai entender mais ainda do que eu estou falando!

O ciúmes tem que ser SAUDÁVEL! Ver o seu amor tod@ cheiros@ e bonit@ e sentir aquele ciuminho, saber que no trabalho da pessoa tem outras mulheres ou homens que podem ser atraentes, mas acima de tudo saber que voce é a pessoa que seu parceir@ escolheu seja para namorar, casar ou morar juntos!

Conta pra mim o que achou desse tema!

Támbem estou no Instagram, acompanhe minha vidinha casada em @gibeluca

Até quinta que vem!

Gi Beluca